Notícias
Raça, superação e vaga mais próxima

Uma partida recheada de emoções, gols bonitos, muito sofrimento e o alívio no fim. Assim, o 50º jogo do Botafogo no Engenhão, nessa quinta-feira, foi com a cara do Glorioso, marcando o estádio como a casa alvinegra, definitivamente. O time de Ney Franco saiu atrás, virou o jogo, sofreu o empate e desempatou, com Túlio Souza, no último minuto, contra o Madureira, por 3 a 2. Os outros gols foram marcados por Leandro Guerreiro e Reinaldo.

Com o resultado, o clube manteve a segunda colocação do grupo B da Taça Rio e depende apenas de si, contra o Resende, para garantir uma vaga nas semifinais e seguir na luta pelo título Carioca, sem necessidade de jogar a final.

A primeira etapa começou lenta, com as duas equipes sentindo dificuldade de jogar devido ao temporal que caiu no estádio antes do jogo. Mesmo assim, jogando em casa e com uma equipe ofensiva, o Fogão tinha mais posse de bola até que, aos 22 minutos, o ex-alvinegro Alex Alves recebeu na entrada da área e marcou um golaço.

Depois do gol, o Madureira se fechou em seu campo de defesa, enquanto o Glorioso partia para cima, tentando reagir. Mas a pressão não foi suficiente para passar do goleiro Renan, do Tricolor Suburbano.

Na segunda etapa, o técnico Ney Franco voltou com Léo Silva e Lucas Silva na vaga de Juninho e Batista. As mudanças surtiram efeito e o time voltou ainda melhor. Antes de empatar o jogo, aos 20 minutos, o Botafogo teve duas grandes chances de fazer um gol. Primeiro, Reinaldo cabeceou a queima roupa, mas Renan salvou. Depois, foi a vez de Victor Simões chutar com muito perigo.

Mas era a noite de Leandro Guerreiro, que aproveitou a falha da zaga do adversário após escanteio cobrado por Maicosuel e cabeceou para o fundo da rede.

A pressão alvinegra continuou intensa após o gol e surtiu efeito. Aos 36 minutos, Victor Simões avançou em velocidade pelo meio e tocou com precisão para Reinaldo. O camisa 7 honrou a camisa que veste, penetrou com facilidade na área e deu um toque de classe, por cima do goleiro, para virar o placar. Depois, foi só abrir o sorriso e correr para comemorar com a torcida.

Contudo, três minutos depois, o Bota sofreu um castigo. Jones cobrou falta de longe, com muita força. A bola quicou na frente de Renan e morreu no canto direito do goleiro alvinegro.

Nos últimos minutos de jogo, o sofrimento aumentou ainda mais. Após cobrança de falta de Túlio Souza na barreira, a bola voltou nos pés de Reinaldo, que chutou no canto direito do goleiro, rente a trave.

E a grande emoção ainda estava por vir. Aos 49, Túlio Souza entrou pela direita na área e chutou com força para fazer um golaço e manter o Botafogo na segunda colocação. Um primeiro gol mais do que especial para o meia, que passou o ano de 2008 lutando contra uma lesão no púbis.

Ao final do jogo, todos os jogadores foram comemorar com a torcida, que enfrentou a chuva e prestigiou a equipe. No Engenhão, ecoava o canto: “Da-lhe, da-lhe, da-lhe, Fogo, Da-lhe, da-lhe, da-lhe, Fogo, Da-lhe, da-lhe, da-lhe, Fogo, seremos campeões!”. E o time mostrou a força necessária para seguir na luta pelo título da Taça Rio e, consequentemente, do Campeonato Carioca.

O próximo jogo será contra o Resende, no próximo domingo, às 16h.



Gabriel Branco