Notícias
Fogão vence e alcança melhor campanha

No último jogo do Campeonato Brasileiro, o Botafogo se despediu da competição de forma honrada e chegou aos 53 pontos, pulando para a sétima colocação e fechando a competição com a melhor campanha desde 1995 do clube em Brasileiros. Para chegar a esta posição, o time de Ney Franco venceu o Palmeiras, nesse domingo, no Palestra Itália, por 1 a 0.

 

Mesmo com uma equipe sem todos os titulares em campo, o Botafogo se impôs no jogo e, com uma marcação precisa, não deu chances ao Alviverde. Os donos da casa contavam apenas com a inspiração de Kléber, que deu trabalho ao goleiro Renan.

 

Mesmo com os avanços do Palmeiras, quem teve as melhores chances da primeira etapa foi o Glorioso, em duas bolas na trave de Lucio Flavio. Na primeira, ele bateu escanteio no travessão, quase marcando um golaço olímpico. Depois, o Maestro acertou um chute de primeira, cruzado. Porém, mais uma vez o destino foi o travessão de Marcos.

 

Com Lucio Flavio ameaçando na frente, o time não tinha problemas atrás, já que o goleiro Renan fez uma partida perfeita e não deu chances ao ataque alviverde.

 

Logo no início do segundo tempo, aos quatro minutos, o Botafogo acertou um bom ataque. Lucio Flavio fez um lançamento primoroso para Alessandro, que cruzou na cabeça de Wellington Paulista, que mandou a bola para o fundo da rede.

 

No jogo que marcou a volta do artilheiro do time no ano, o camisa 9 voltou a fazer o que sabe melhor, marcar gols. Com o faro de artilheiro, ele chegou aos sete na competição e aos 28 no ano.

 

Ficha técnica:

 

Palmeiras 0 x 1 Botafogo

 

Local: Palestra Itália

Cartões Amarelos: Emerson, Luciano Almeida, Edson (B); Gustavo e Maurício (P)

Cartões Vermelhos: Maurício (P) e Alexandro (B)

 

Botafogo: Renan, Edson (Luciano Almeida) André Luis e Emerson; Alessandro, Leandro Guerreiro, Túlio Souza, Lucas Silva (Jougle) e Triguinho; Wellington Paulista (Alexandro). Técnico: Ney Franco

 

Palmeiras: Marcos, Gustavo, Jéci (Denílson) e Maurício; Fabinho Capixaba, Pierre, Sandro Silva (Jumar), Evandro (Thiago Cunha) e Leandro; Diego Souza e Kléber. Técnico: Vanderlei Luxemburgo 



Gabriel Branco