Notícias
Wellington Paulista quer voltar a sorrir

Nenhum atacante gosta de ficar um grande período sem balançar a rede adversária. Com Wellington Paulista não é diferente. Ele está há mais de dois meses, ou 11 jogos, sem fazer gols com a camisa alvinegra, mas o jejum não chega a preocupar o artilheiro do Fogão.

 

O camisa 9 do Botafogo sabe que está devendo, mas que também vem ajudando o time de outras maneiras dentro de campo.

 

– Sei que atacante vive de gols e que não marco há algum tempo. Mas estou tranqüilo porque tenho a confiança dos meus companheiros e do meu treinador. Estou ajudando o time da melhor forma e, contra o Coritiba, fiz a jogada que resultou no pênalti que nos deu a vitória – diz o atacante, que faz uma confissão:

 

– Já estou com saudades de fazer um gol. Espero que ele saia na próxima rodada, contra a Portuguesa.

 

E foi justamente contra a Portuguesa, no empate em 1 a 1, no Canindé, que Wellington Paulista fez o seu último gol, no dia 16 de abril, pela Copa do Brasil. Ele espera que esta coincidência possa ajudar na partida de sábado, às 18h20, no Engenhão.

 

– Tomara que esse gol aconteça logo de uma vez. Não por ser contra a Portuguesa, mas para que esse jejum acabe logo. Quero ajudar o time a sair de campo com mais três pontos na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro – afirma.

 

O técnico alvinegro Geninho acredita que a falta de gols de Wellington Paulista acabará rapidamente e torce para que seja contra a Portuguesa.

 

– Todo jogador passa por um momento assim na carreira e o do Wellington Paulista é agora. Mas tenho a certeza de que logo esse jejum de gols acabará e quando sair o primeiro, os outros virão naturalmente. Espero que ele marque já contra a Portuguesa – diz Geninho.

 

Mesmo estando há muito tempo sem fazer gols, Wellington Paulista ainda é o artilheiros do Botafogo na temporada 2008, com 19 gols. Foram 14 no Campeonato Carioca, terminando como artilheiro da competição, e cinco na Copa do Brasil.

 

– Está faltando ainda o primeiro no Campeonato Brasileiro. Espero que seja o primeiro de muitos outros.



Leandro Menezes